O que é o exame:

A colonoscopia é um exame endoscópico que permite a visualização do interior de todo o cólon (intestino grosso). O instrumento utilizado é um tubo flexível com cerca de um metro de comprimento e um centímetro de diâmetro. Na extremidade final desse tubo existe uma mini câmera que transmite, para um monitor colorido, as imagens do interior do cólon e do íleo-terminal (parte final do intestino delgado). Essas imagens são fotografadas ou gravadas.

 

Como é realizado o exame:
O paciente deverá comparecer a clínica no horário agendado, trazendo o pedido do médico e um acompanhante maior de 18 anos. O exame não será realizado sem o acompanhante.
A colonoscopia é realizada, habitualmente, numa sala apropriada, da VIA GASTRO. Antes do exame o paciente é orientado sobre o procedimento, a enfermeira punciona uma veia no braço para administração de medicamentos e posiciona um sensor digital na mão para avaliação dos dados vitais (frequência cardíaca e oxigenação do sangue) durante o exame. O paciente é posicionado, confortavelmente, numa maca, deitado de lado, para a esquerda.
Após a administração dos medicamentos sedativos, é realizado um toque retal para relaxamento dos esfíncteres anais, seguido da introdução do aparelho. Após posicionamento apropriado, o aparelho é introduzido suavemente através dos segmentos cólicos, permitindo o exame cuidadoso de toda a mucosa. Para melhorar a visualização, é necessário injetar pequenas quantidades de ar dentro do intestino, o que pode causar um pouco de cólica. Quando isso ocorre, esse ar é retirado através do próprio aparelho, aliviando a distensão. Por fim, para facilitar a progressão do aparelho, pode ser necessário que o paciente mude de posição e fique deitado de costas. Todo esse procedimento é auxiliado por uma enfermeira especialmente treinada.
Se, a colonoscopia revelar alguma alteração na mucosa, uma pinça de biópsia pode ser introduzida por um canal do aparelho até a sua extremidade final a fim de retirar alguns fragmentos do tecido alterado e enviá-los para a análise de um patologista. Lembre-se que, biópsias podem ser feitas por várias razões, como para inflamações e úlceras, não significando, necessariamente, suspeita de câncer. Além disso, se durante a colonoscopia for identificado algum local com sangramento ativo, este pode ser controlado através de coagulação ou de injeção de substâncias esclerosantes, introduzidas através do próprio aparelho. Por fim, se pólipos forem encontrados, eles deverão ser removidos.

 

Preparo para o exame:

Para a realização desse procedimento é necessário o pedido do médico e o agendamento prévio. O paciente deverá informar a idade no momento do agendamento, pois, pacientes com menos de 15 anos, ou mais que 75 anos, podem precisar de acompanhamento do médico anestesista durante o exame.
Durante o procedimento endoscópico, o cólon precisa estar completamente limpo, isto é, isento de fezes e resíduos alimentares. Partículas de fezes ou de alimentos interferem na visualização adequada e na segurança do exame. É necessário realizar preparo intestinal, orientado pelo médico, desde a véspera até o dia do exame. No momento da marcação do exame será entregue uma ficha com as orientações detalhadas para o preparo de cólon. A dieta, desde a véspera, vai consistir de alimentos leves, sem fibras, batidos em liquidificador e coados, sem corantes, ingerindo-se água em abundância, sem leite. No dia anterior e no dia do exame, o paciente precisa tomar laxantes potentes que induzirão várias evacuações, até a limpeza completa dos intestinos. Existem várias opções de laxantes e, portanto, esse preparo deve ser orientado pela equipe da Via Gastro.
Quase todas as medicações podem ser tomadas normalmente antes e após o exame, mas algumas podem interferir com o preparo. O melhor é informar sobre as medicações em uso e sobre qualquer alergia a medicamentos. Aspirina ou AAS, medicações para artrite, anticoagulantes e insulina são exemplos de medicações que devem ser informadas se você usa, antes do exame. Em alguns casos pode ser necessário o uso de antibióticos antes do procedimento.


O que acontece após o exame:
Após o exame, o paciente permanece em uma Sala de Repouso cerca de uma hora e meia, até diminuir os efeitos do sedativo. Nesse período poderá sentir o abdômen um pouco distendido e com cólicas. Esse desconforto desaparecerá assim que os gases que foram injetados no cólon durante o exame sejam eliminados.  Quando estiver se sentindo bem o paciente é liberado para casa onde poderá alimentar-se normalmente. Porém, a ingestão de bebidas alcoólicas deverá ser evitada durante as próximas 12 horas. Não deve conduzir veículos. No caso de mal estar, náuseas, vômitos, sangramento intestinal ou dor abdominal deve retornar ao serviço de endoscopia ou entrar em contato com o médico assistente.

Segurança do exame:
Complicações relacionadas ao exame podem ocorrer, mas são raras. Podem estar relacionadas à ao preparo do colon, à sedação, ao exame propriamente dito, ou a procedimentos complementares realizados.
O preparo pode gerar intolerância gástrica que se refletirá em náuseas, vômitos e distensão abdominal (inchaço na barriga). Como o preparo induz a uma diarreia, pode ocorrer desidratação e desequilíbrio dos eletrólitos (alterações de sódio e potássio).
As complicações relativas à sedação variam de uma flebite superficial (vermelhidão e inchaço no local da punção da veia) até situações de maior gravidade com hipotensão arterial (queda de pressão), bradicardia, depressão respiratória, broncoaspiração e parada cardiorrespiratória.
Pode ocorrer perfuração intestinal durante a introdução do colonoscópio. Esta temida complicação ocorre em cerca de 0,05% das colonoscopia com finalidade diagnóstica.
Ressecção de pólipos pode acarretar duas graves complicações: a perfuração e a hemorragia.
Tais eventos relacionam-se principalmente ao tamanho dos pólipos ressecados. A perfuração ocorre, nas diversas séries, com frequência de 0,03 a 1% das polipectomias, e a hemorragia em cerca de 0,02% dos procedimentos, podendo acontecer no momento da ressecção do pólipo, ou tardiamente até dias após.
É preciso que haja uma boa interação entre o paciente, o acompanhante e o médico endoscopista para minimizar essas complicações, bem como tratá-las adequadamente.

Entrega do laudo:
O laudo será entregue na Via Gastro após 24 horas da realização do exame.